segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Dias Cinzas --- mar Cinza --- Mimosas Amarelas...



O habitual de S. Pedro de Moel----Dias cinzas e Mar cinza...


Mimosas Amarelas --- A primavera chega a S. Pedro...

--------------------------------------------------------------------------------------

S.PEDRO de MOEL --- nuvens e mar --- cinzentos...... MIMOSAS Amarelas ..... ...




S:PEDRO de MOEL --- Fevereiro de 2011

MITO ---- Poema de Miguel Torga

Poema de Miguel TORga --- Marinha ---

SOPHIA de MELLO BREYNER ANDRESEN

O MAR

O mar ergue o seu radioso sorrir...
Toda a luz se azula.

Reconhecemos nossa inata alegria: a evidência do
Lugar sagrado.



AS VOZES DO MAR

Este búzio não o encontrei eu própria numa praia
Mas na mediterrânica noite azul e preta
Em Cós o comprei na venda junto ao cais
E comigo trouxe o ressoar dos temporais

Porém nele não oiço
Nem o marulho de Cós nem o de Egina
Mas sim o cântico da longa vasta praia
Atlântica e sagrada
Onde para sempre minha alma foi criada

Livro: " Ilhas - poemas

Canção do MAR --- Dulce Pontes

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

SONHO-- AMOR-- MAR --ROSAS

Wordle: SONHO MAR

Poema de Fernando Pessoa ---- "Olhando o MAR, sonho sem ter de quê"



Olhando o mar, sonho sem ter de quê.
Nada no mar, salvo o ser mar, se vê.
Mas de se nada ver quanto a alma sonha!
De que me servem a verdade e a fé?

Ver claro! Quantos, que fatais erramos,
Em ruas ou em estradas ou sob ramos,
Temos esta certeza e sempre e em tudo
Sonhamos e sonhamos e sonhamos.

As árvores longínquas da floresta
Parecem, por longínquas, 'star em festa.
Quanto acontece porque se não vê!
Mas do que há pouco ou não há o mesmo resta.

Se tive amores? Já não sei se os tive.
Quem ontem fui já hoje em mim não vive.
Bebe, que tudo é líquido e embriaga,
E a vida morre enquanto o ser revive.

Colhes rosas? Que colhes, se hão-de ser
Motivos coloridos de morrer?
Mas colhe rosas. Porque não colhê-las
Se te agrada e tudo é deixar de o haver?

Fernando Pessoa

POEMA sobre O MAR

Chora no ritmo do meu sangue, o Mar.
Na praia, de bruços,
fico sonhando, fico-me escutando
o que em mim sonha e lembra e chora alguém;
e oiço nesta alma minha
um longínquo rumor de ladainha,
e soluços,
de além...

Chora no ritmo do meu sangue, o Mar.

São meus Avós rezando,
que andaram navegando e que se foram,
olhando todos os céus;
são eles que em mim choram
seu fundo e longo adeus,
e rezam na ânsia crua dos naufrágios;
choram de longe em mim, e eu oiço-os bem,
choram ao longe em mim sinas, presságios,
de além, de além...

Chora no ritmo do meu sangue, o Mar.

(......................................)

AFONSO LOPES VIEIRA

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

LiNDO MAR!!!::: MAR LiNDO LiNDO

AMAR AMAR MAR MAR

O mar desfazia-se em espuma...

A CAVALO NO VENTO --- DAVID MOURÃO FERREIRA

A cavalo no vento



A cavalo no vento sobrevoo
o destino sombrio deste porto,
aonde um rio vem morder o vulto
do mar confuso.
Ó mar despedaçado,
mordido em tanto flanco, o sobressalto
dos teus ombros nervosos já sacode
a terra toda!

E para quê mais portos
agressores, estaleiros rancorosos,
onde em surdina e sombra se conspira
contra a vida. . .?

. . . Contra a vida do mar e o seu poder
que só um corpo nu deve merecer!

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Wordle: S.PEDRO CINZENTO

S.PEDRO de MOEL --- nuvens e mar --- cinzentos...... MIMOSAS Amarelas ..... ...

video

-------------------------------------------------

Fotos captadas no dia 20 de Fevereiro 2011

helena serrador

O AmArelo das MiMoSaS




fotos tiradas a 20 de fevereiro 2011

helena serrador

MiMoSas floridas




A contrastar com o CINZA do Céu e Mar O AMARELO DAS MIMOSAS!!!...

LINDO LINDO LINDO

Lindos os tons de cinza do CÉU e do MAR...



fotos --- helena serrador

FABULOSA A NATUREZA NESTE DIA CINZA....

S. PEDRO ao caír da tarde...

S.PEDRO de MOEL --- nuvens e mar --- cinzentos... 20 fev 2011





Fotos ---- helena serrador

Um dia muito cinzento em que o mar tinha a côr das nuvens ---

Lindíssimo de se vêr; adorei apreciar hoje à tardinha o céu e o mar...

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

TeMpEsTaDe



Foto --- Isabel Anjinho

Isabel peço desculpa de utilizar tantas vezes esta foto mas,....não tenho nenhuma de MAR BRAVO e, neste tempo em que as TEMPESTADES estão tão frequentes, APROPRIEI-ME DA SUA, para ilustrar o poema.......
I AM SORRY... EXCUSE ME PLEASE...
.....

Beijinho titi lena

TEMPESTADE --- Poema de António Nobre

Tempestade!

O meu beliche é tal qual o bercinho,
Onde dormi horas que não vêm mais.
Dos seus embalos já estou cheiinho:
Minha velha ama são os vendavaes!

Uivam os ventos! Fumo, bebo vinho.
O vapor treme! Abraço a Biblia, aos ais...
Covarde! Que dirá teu Avôzinho,
Que foi moreante? Que dirão teus Paes?

Coragem! Considera o que has soffrido,
O que soffres e o que ainda soffrerás,
E ve, depois, se accaso é permittido

Tal medo à Morte, tanto apego ao mundo:
Ah! fôra bem melhor, vás onde vás,
Antonio, que o paquete fosse ao fundo!

António Nobre, in 'Só'

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011



Foto --- helena serrador

PrAiA do EsQuecImenTo

Praia do Esquecimento

Fujo da sombra; cerro os olhos: não há nada.
A minha vida nem consente
rumor de gente
na praia desolada.

Apenas decisão de esquecimento:
mas só neste momento eu a descubro
como a um fruto rubro
de que, sem já sabê-lo, me sustento.

E do Sol amarelo que há no céu
somente sei que me queimou a pele.
Juro: nem dei por ele
quando nasceu.

David Mourão-Ferreira, in "Tempestade de Verão"

Praia abandonada ao cair da tarde ...logo que o mar se vai...




Foto --- helena serrador (abril 2009)

PRAIA DE MONTEGORDO

Poema de David Mourão Ferreira

A praia abandonada recomeça
logo que o mar se vai, a desejá-lo:
é como o nosso amor, somente embalo
enquanto não é mais que uma promessa...

Mas se na praia a onda se espedaça,
há logo nostalgia duma flor
que ali devia estar para compor
a vaga em seu rumor de fim de raça.

Bruscos e doloridos, refulgimos
no silêncio de morte que nos tolhe,
como entre o mar e a praia um longo molhe
de súbito surgido à flor dos limos.

E deste amor difícil só nasceu
desencanto na curva do teu céu.

Ferragudo

video

Neste longo Inverno só apetece recordar o BOM TEMPO --- o SOL, a PRAIA, os banhinhos, e os longos passeios à beira mar!!!.....

Sendo assim sabe muito bem recordar o verão que passou...




Fotos ---- helena serrador ( 2009)

PoEsIa de SOPHIA

Bebido o luar, ébrios de horizontes,
Julgamos que viver era abraçar
O rumor dos pinhais, o azul dos montes
E todos os jardins verdes do mar.


Mas solitários somos e passamos,
Não são nossos os frutos nem as flores,
O céu e o mar apagam-se exteriores
E tornam-se os fantasmas que sonhamos.

Por que jardins que nós não colheremos,
Límpidos nas auroras a nascer,
Por que o céu e o mar se não seremos
Nunca os deuses capazes de os viver


sOpHiA mEllo ANdresEN

Pensamento de Sophia M. ANdresen

Mar,
Metade da minha alma é feita de maresia.



Sofhia de Mello Andresen

GALÉ ---- 2010

Wordle: ALGARVE1  style=

GaLÉ --- 2010

video


Fotos helena serrador (verão 2010)

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Wordle: POVO

MaR de naufrágios e chorar....


Povo que vives no MAR -- Mariano Calado

Povo que vives do mar,
que no mar vives e sonhas,
ah, meu oovo de cantar,
meu povo de sol a sol,
meu povo de mar a mar,
meu povo de mareantes
de naufrágios e chorar,
meu povo de velejar
com sereias e ternura,
companha do meu sonhar,
que vives com a loucura
de lendas para contar,
traineira da minha vida
toda de rendas vestida.
Oh,vai, meu povo moreno,
oh,vai, minha terra -força
que tens a força do mar,
que matas a fome e o frio
à sombra do teu navio,
Nau dos Corvos minha nau
que não se deixa afundar.

Como eu te quero, meu povo,
sempre antigo e sempre novo,
meu povo de mar e mar!

MARIANO CALADO


Wordle: ONDAS

Ai ONDAS do MaR, AI ONDAS,--- A. L. VIEIRA




Cantares dos BÚZIOS ---- A. Lopes Vieira

Ai ondas do mar, ai ondas,
ó jardim das altas flores,
sobre vós, ondas, ai ondas,
suspiram os meus amores.

Do fundo dos búzios canta
ó mar que choras a cantar
ó mar que choras cantando,
eu canto e estou a chorar!

Ai ondas do mar, ai ondas,
eu bem vos quero lembrar,
e a minha alma é só DEUS
o meu corpo de água do mar!


Afonso Lopes VIEIRA

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

S.PEDRO de MoEL -MAR e hortênsias

video

Poema de Fernando Pessoa ---- Ó Mar Salgado

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.



Fernando Pessoa
Wordle: GALÉ

PRAIA da GALÉ

video

PRAIAS ALGARVIAS

video

GaLé --- Fevereiro 2011







Lindíssimas ISABEL---agradeço imenso--- as fotos ficaram MAGNÍFICAS!...

fOToS---- ISABEL ANJINHO

A GALÉ -------- fevereiro 2011




Esta LINDA FOTO foi tirada pela minha AMIGA Isabel, na nossa praia da GALÉ, no dia 6 de Fevereiro!...

OBRIGADA ISABEL!




----------------------------------------------------

sábado, 12 de fevereiro de 2011

PrAçA RoDrIgUeS LoBo

E, com FRANCISCO RODRIGUES LOBO na sua LINDA PRAÇA termino, por agora, a apresentação de alguns recantos que me encantam nesta BONITA CIDADE!!!...

Esta PRAÇA é um espaço LINDO, que TODOS os LEIRIENSES frequentam quer sejam séniores, idade de ouro, jovens, adolescentes ou crianças!.......

....É um local muito apreciado por TODOS pois, é muito agradável e DISFRUTA-SE a vista do nosso MARAVILHOSO CASTELO!


-------------------------------------------------------------

F. Rodrigues LOBO na sua PRAÇA

Poema de F. Rodrigues Lobo

CORAÇÃO, olha o que queres...


Tão tirana e desigual

Sustentam sempre a vontade,

Que a quem lhes quer de verdade

Confessam que querem mal;

Se Amor para elas não val,

Coração, olha o que queres:

Que mulheres, são mulheres...


Se alguma tem afeição

Há-de ser a quem lha nega,

Porque nenhuma se entrega

Fora desta condição;

Não lhe queiras, coração,

E senão, olha o que queres:

Que mulheres, são mulheres...


São tais, que é melhor partido

Para obrigá-las e tê-las,

Ir sempre fugindo delas,

Que andar por elas perdido;

E pois o tens conhecido,

Coração, que mais lhe queres?

Que, em fim, todas as mulheres!


Francisco Rodrigues Lobo (1579-1621)


F.R.Lobo foi um dos mais importantes seguidores de LUÍS de CAMÕES

CaNtiGA de Francisco Rodrigues Lobo


Descalça vai para a fonte,
Leanor pela verdura;
Vai fermosa, e não segura.

A talha leva pedrada,
Pucarinho de feição,
Saia de cor de limão,
Beatilha soqueixada;
Cantando de madrugada,
Pisa as flores na verdura:
Vai fermosa, e não segura.

Leva na mão a rodilha,
Feita da sua toalha;
Com üa sustenta a talha,
Ergue com outra a fraldilha;
Mostra os pés por maravilha,
Que a neve deixam escura:
Vai fermosa, e não segura.

As flores, por onde passa,
Se o pé lhe acerta de pôr,
Ficam de inveja sem cor,
E de vergonha com graça;
Qualquer pegada que faça
Faz florescer a verdura:
Vai formosa, e não segura.

Não na ver o Sol lhe val,
Por não ter novo inimigo;
Mas ela corre perigo,
Se na fonte se vê tal;
Descuidada deste mal,
Se vai ver na fonte pura:
Vai fermosa, e não segura

(Francisco Rodrigues Lobo)

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011